Bibliotecas: do passado ao futuro!

Desde tempos antigos até um passado relativamente recente (mas que parece já demasiado longínquo a muita gente!), o livro era um objeto precioso: raro, difícil de fazer, acessível só a alguns e guardado como um tesouro. O livro era também um símbolo de poder, fosse ele poder sagrado, poder militar, poder da lei, poder financeiro ou poder do conhecimento.
A história do livro acompanha a história do homem. O livro é uma das mais importantes chaves para compreender o processo da civilização.





Ao longo de diferentes épocas e em diversos lugares, o livro tomou múltiplas formas – algumas simplesmente extraordinárias!



Os livros sempre foram guardados em espaços especiais, que os resguardassem de condições adversas ao seu bom estado, que os protegessem cada vez melhor de pilhagens e incêndios, e, sobretudo, que traduzissem a veneração pela importância da palavra escrita, que tornava eterna a memória do efémero da vida humana. Edifícios cada vez maiores, mais complexos e mais luxuosos elevavam o livro ao estatuto da própria cultura sobre a qual assentava a identidade dos povos.




Todavia, apesar de todos os esforços, o passar de diferentes épocas foi destruindo muitas bibliotecas e muita memória se perdeu; por outro lado, cada vez mais cuidado foi posto na preservação de bibliotecas antigas ou de especial interesse arquitetónico. A história das bibliotecas traduz a importância dada pelo homem à sua própria história!




Antes da produção de livros em massa, as bibliotecas eram pertença de quem pudesse mantê-las e alargá-las, ou seja, dos Estados e de particulares abonados. O acesso às bibliotecas estava reservado, por autorização de uns e de outros, àqueles cujo estatuto social lhes conferia esse direito.

leitor escadote pintura.jpg

O desenvolvimento das sociedades e a importância crescente da alfabetização e da escolarização abriram as bibliotecas às massas. Nos livros concentravam-se todas as áreas do conhecimento, que desabrochavam em novas áreas ao ritmo do debate, da investigação, do progresso, da democratização cultural e da afirmação dos povos e dos indivíduos.

leitores na biblioteca.jpg
ler-ler-ler.jpg
Foram também evoluindo os sistemas de catalogação e de indexação, a par da crescente publicação. Com a chegada da era digital, muitas obras e documentos de acesso difícil (fosse pela sua raridade ou fragilidade, fosse pela publicação limitada ou fosse pela degradação impossível de travar) foram digitalizados e, uma vez mais, se proveu à sua manutenção para memória futura e para trabalho presente. A digitalização também veio facilitar o arquivo e a consulta de publicações periódicas e proporcionar novas possibilidades de catalogação e localização de obras. Mas veio, sobretudo, dinamizar o audiovisual como ferramenta de aprendizagem, especialmente em meio escolar.
moldura biblioteca.jpg


moldura videoteca.jpg

Atualmente, a era virtual possibilita a produção, publicação e pesquisa de obras em formato eletrónico (e-book), o qual reduz todo o processo uma questão de segundos!

ebook.jpg

Os novos formatos permitem a interatividade do leitor com a obra, com o autor e com outros leitores!As obras adquiriram características visuais, sonoras e cinestésicas impossíveis de conseguir com o papel.Além disso, a biblioteca virtual fomenta a aprendizagem móvel, que ocorre sobre qualquer assunto, em qualquer lugar e a qualquer hora para qualquer pessoa (ou quase…).
moldura linkoteca.jpg

A biblioteca virtual abriu as portas do hiperespaço à memória e ao futuro. A sua capacidade de armazenamento é imensa sem ocupar espaço físico; e a sua capacidade de disseminação de informação só está limitada à capacidade de processamento da internet, a qual é também cada vez maior.
biblioteca virtual laptop cursor livro.png

A biblioteca virtual acolhe até os cidadãos cujas literacias mediática e da informação não lhes permita pesquisas eficazes, orientado a sua busca de informação de forma intuitiva e lançando pontes para destinos que poderão ser do seu interesse.
livros escadas cartoon.jpg

Mais do que isso, a biblioteca virtual está recetiva às contribuições dos leitores! É a biblioteca web 2.0: interativa, estruturada para facilitar o acesso ao conhecimento e aberta para alojar cada vez mais conhecimento.
menina apontar monitor.jpg

Em 2007, Jack Maness publicou o seu famoso artigo “Library 2.0 Theory: Web 2.0 and its implications for libraries”, cuja tradução pode ler no seguinte documento.


Da biblioteca pública 2.0 à biblioteca escolar 2.0 foi um passo, uma vez que é na biblioteca escolar que os nativos digitais abundam! Celeste Ferreira realizou uma reflexão em torno deste assunto, analisando o caso de bibliotecas escolares portuguesas.




bib versão inicial da internet cartoon.jpg

O próprio conceito de biblioteca como espaço físico destinado à leitura (sobretudo a silenciosa!) está a ser reformulado.Compare os seguintes vídeos!





Mudando os espaços e os equipamentos, a biblioteca melhora a relação dos leitores com o espaço dos livros e com o conhecimento em geral. Mas mudando as formas de acesso à informação e as formas de organização da informação, a biblioteca potencia os novos conceitos de leitura, de literacia e de aprendizagem, seja ela formal ou informal. De facto, os contextos informais de aprendizagem, isto é, todos os contextos exteriores à escola (ou espaços idênticos), estão a ganhar importância como espaços privilegiados de aprendizagem natural, automotivada e autorregulada.
estrategdigitalbib.png


As redes sociais, os blogs e outros espaços virtuais também são agora espaços alternativos de leitura (e de escrita!) tão adequados ao desenvolvimento das literacias como qualquer livro! Para saber mais sobre este assunto, leia o seguinte artigo de Bruna Santos e Nídia Lubisco, apresentado em outubro de 2011 no Simpósio em Tecnologias Digitais e Sociabilidade (Salvador).



Portanto, as bibliotecas do século XXI estão já a adaptar-se a essas mudanças, não só porque querem honrar a sua função de formação de leitores, mas porque compreendem o seu papel de interface entre pessoas e conhecimento.



O que é então ser leitor no século XXI? Maria da Esperança Martins e Cristina Sá (universidade de Aveiro) escreveram o seguinte artigo em “ABZ da Leitura – Orientações Teóricas”, publicado pela Casa da Leitura (Fundação Gulbenkian), em que abordam a importância da compreensão na leitura e a necessidade de aplicar novos critérios na adoção de manuais escolares de Língua Portuguesa.



Seremos “nativos digitais” ou “navegadores errantes”? Dulce Helena Melão apresentou o seguinte artigo em dezembro de 2011, no VII Congresso SOPCOM (Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação), realizado na Universidade do Porto. Neste artigo, explora a importância da educação para os media e a formação de leitores para o século XXI, partindo do perfil atual de leitor.



Uma mudança de paradigma!
O paradigma de conhecimento baseado em livros fomentava uma aprendizagem relativamente baixa em questionamento e compreensão, dando-se sobretudo valor à memorização de factos. Este paradigma terá alcançado o seu limite nos primeiros anos do século XXI. Por volta de 2004, o paradigma baseado na Internet (agora um sistema mais eficiente em termos de custos, acessibilidade e funcionamento) veio substituir o anterior – alterando completamente a relação de alunos e de leitores em geral com o conhecimento.
O questionamento crítico e a compreensão são agora mais valorizados, o que abre espaço para a criação de novos conhecimentos.
sconul_literacia.jpg


No nosso sistema de ensino, o esquema acima pde traduzir-se desta foma no ensino básico:

infoliteracia do 1º ao 3º ciclos esquema.jpg

Mas construir o futuro das bibliotecas passa necessariamente por tornar a despertar o encantamento da descoberta.




Links de interesse sobre Bibliotecas no século XXI:
  • Sobre a história do livro e da biblioteca:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Livro

http://pt.wikipedia.org/wiki/Biblioteca

http://pt.wikipedia.org/wiki/Biblioteca_virtual

  • Sobre exemplos de bibliotecas digitais e virtuais portuguesas:

http://cvc.instituto-camoes.pt/conhecer/biblioteca-digital-camoes.html

http://sigarra.up.pt/up/web_base.gera_pagina?P_pagina=1007120

As restantes páginas desta Wiki abordam estes e outros assuntos. Explore-as!
puzzle 4 peças.jpg
Aprendizagem em Rede
livros e outros mats G.jpg
Literacias
livro em cima do écran do laptop.jpg
Bibliotecas


laptops.jpg
Salas de Aula
prof orienta als.jpg
Professores e Alunos
balões de fala coloridos.jpg
Conhecimento, Comunicação e Cidadania